L’étude des objets manufacturés en archéologie médiévale et l’étude des manuscrits enluminés">L’étude des objets manufacturés en archéologie médiévale et l’étude des manuscrits enluminés

O objetivo deste workshop é comparar, por meio da análise de alguns casos específicos, os métodos científicos utilizados no estudo dos manuscritos iluminados (história da arte) e dos artefactos encontrados no âmbito da arqueologia medieval. Em ambas as áreas os contextos de criação e utilização dos objectos são fundamentais para a sua caracterização e compreensão. A partir de casos específicos tentar-se-á traçar semelhanças e diferenças nos métodos de análise que caracterizam as duas disciplinas históricas. Deste modo pretende-se compreender em que medida é possível adaptar e aplicar metodologias diversas de modo a obter um conhecimento mais profundo do objecto e do seu contexto.

Corporate spaces and urban scales in the XXth century">Corporate spaces and urban scales in the XXth century

Focusing on the issue of inter-territorial coordination in corporate experiences that involved States throughout the 20th century, the Congress CORPORATE SPACES AND URBAN SCALES aims at a historical reassessment of corporate primary agencies. In general terms, the target will be the basic organisms that framed the economic activities and the “social cooperation” of the majority of the population. In the Portuguese case, for example, such basic structures comprised the following organizations: ‘houses of the people’ (Casas do Povo), ‘houses of the fishermen’ (Casas dos Pescadores), farmers guilds (Grémios da Lavoura), commercial guilds (Grémios do Comércio), industrial guilds (Grémios da Indústria) and unions (Sindicatos). The goal of this Congress is the cross analysis of this reality in the urban-rural context and in a comparative perspective.

A Restauração de Portugal (1640-1668): antigas tradições e novas perspectivas">A Restauração de Portugal (1640-1668): antigas tradições e novas perspectivas

A Restauração, título dado à insurreição que pôs fim a sessenta anos de união dinástica entre o reino lusitano e a monarquia hispânica, é sem dúvida um dos principais eventos da história de Portugal. Não por acaso a escrita da história do movimento de dezembro de 1640 e dos vinte e oito anos de guerra que se lhe seguiram foi objeto de uma intensa instrumentalização política. De bode expiatório dos males do país a estandarte do orgulho nacional, o século XVII português foi durante muito tempo representado segundo as cores de ideologias que não procuravam no passado senão os elementos de justificação de suas doutrinas.

Museus, discurso e poder">Museus, discurso e poder

Ao longo da sua história, o museu, ao selecionar, acolher, classificar, catalogar e expor objetos, estabeleceu discursos acerca do significado cultural das suas coleções que foram e são determinantes para a formação das memórias coletivas e para os modos como as sociedades lidam com o passado no presente. Esses discursos contribuíram e contribuem ativamente para a formação de valores sociais, morais, políticos e ideológicos. Ao fazê-lo, os museus tanto foram e são instituições de poder como instrumentos do poder. Com o tema Museus, discurso e poder pretende-se reunir e publicar um conjunto de artigos acerca da relação dos museus com o poder e da relevância dessa relação no passado e para as sociedades contemporâneas.

O culto medieval de São Vicente">O culto medieval de São Vicente

Trata-se de uma iniciativa do Instituto de Estudos Medievais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Lisboa, que terá lugar em Lisboa, nas instalações da Faculdade na Avenida de Berna, nos dias 20 e 21 de Outubro de 2014, organizada em quatro sessões («O culto de São Vicente na Península Ibérica», «O culto a São Vicente no Mosteiro de São Vicente de Fora», «O culto a São Vicente na Sé de Lisboa» e «Novos horizontes devocionais»), com comunicações a cargo de reputados investigadores de diversas universidades, nacionais e estrangeiras, que apresentarão as contribuições mais significativas e abrangentes para a compreensão do culto de São Vicente.

A Estética, o Espaço e o Tempo. Reflexos da Contra-Reforma na praxis musical">A Estética, o Espaço e o Tempo. Reflexos da Contra-Reforma na praxis musical

Em 2014 a II Residência em S. Bento de Cástris dedica especial atenção às dimensões da Estética monástico-religiosa, com algum privilégio para as temáticas da Música; a apropriação do espaço pelos sons, fazendo da música o fio condutor da residência, através de comunicações temáticas mas, também, de audições seleccionadas e comentadas a partir do extenso, e mal conhecido, espólio musical desta Casa Cisterciense dar-nos-á a possibilidade de ouvir melhor as diversidades conjunturais e os seus ritmos, as dimensões de valorização patrimonial, acompanhadas de sugestões estéticas em vários domínios no sentido da fruição plena dos espaços. Será nos diálogos, debates conversas e tempos de conhecimento dos projectos que nos ocupam ou que queremos vir a concretizar que a riqueza desta Residência Cisterciense se afirmará e que o projecto futuro deste património continuará a ser.